APL Vale do Rio Pardo realiza balanço das atividades

Entidade terá mais de R$ 800 mil em recursos garantidos para aplicar em ações que incrementem e melhorem a produção de alimentos na região

Agroindústrias garantem produção de alimentos  (Jacson Miguel Stülp/CaseMKT)

Agroindústrias garantem produção de alimentos
(Jacson Miguel Stülp/CaseMKT)

Em meio à troca da entidade gestora, o Arranjo Produtivo Local do Vale do Rio Pardo – Agroindústria e Produção de Alimentos, realiza um balanço positivo das atividades realizadas em 2015. Neste ano, o APL VRP trabalhou na execução do Plano de Trabalho do Convênio 08/2014, onde foram realizadas visitas técnicas, missões empresariais, reuniões de governança, entre outros.

Segundo o gestor do APL VRP, Jesus Edemir Rodrigues, a entidade teve participação de apoio e com recursos financeiros em 17 feiras municipais e regionais, com repasse de recursos no valor aproximado de R$ 50 mil. Esteve presente ainda em seminários e eventos realizados.

“Mas conquistamos recursos importantes em dois editais junto ao Governo do Estado, via Agência para o Desenvolvimento do Estado (AGDI), que somam juntos R$ 350 mil”, explica.

Ainda existe outro recurso liberado do Proinf 2015, via Ministério do Desenvolvimento Agrário no valor de R$ 350 mil, que serão aplicados na construção de estrutura junto ao Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale) para buscar a equivalência do SISBI/SUASA, um sistema de inspeção sanitária que possibilita a comercialização de produtos em todo o território federal. “A agroindústria que for inspecionada por este sistema vai aumentar suas vendas, pois atualmente o maior gargalo da agroindústria de produtos de origem animal é a inspeção, que fica limitada a comercializar seus produtos dentro do seu município”, completa Rodrigues.

O APL VRP ainda foi contemplado com recursos do processo de Participação Popular e Cidadã (PPC) 2015/2016, no valor de R$ 134 mil. A sua aplicação ainda vai ser definida pela governança. “Temos um montante de R$ 834 mil a serem investidos em ações que irão fortalecer o trabalho do APL no Vale do Rio Pardo”, observa Rodrigues.

Jesus aponta ainda que o APL está em processo de elaboração do Plano de Desenvolvimento e Marketing, com a participação da região por meio das entidades que compõem a governança e os agricultores familiares que são produtores de alimentos.

“Atualmente estamos na fase de levantamento do diagnóstico e contamos com a participação de todos os envolvidos, como agricultores e entidades da governança, o que será uma das principais ações do APL VRP para 2016”, cita.

Entidade gestora
Mas o ano também será importante para o APL VRP por causa da mudança na entidade gestora, onde a Unisc vai ser a substituta da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), que era a gestora desde a criação do APL, em 2010. “A Afubra deixa de ser a entidade gestora por entender que já contribuiu com o processo, e a Unisc ingressa com muita vontade de contribuir a partir de agora, disponibilizando toda sua estrutura e cursos de diferentes áreas que podem contribuir para o desenvolvimento do APL VRP”, destacou.

Assessoria de Imprensa do APL Vale do Rio Pardo