Governo gaúcho seleciona oito novos APLs para receberem apoio

Projeto coordenado pela AGDI chega agora a 20 arranjos enquadrados no Estado

Oito novos Arranjos Produtivos Locais (APLs) foram selecionados e receberão apoio do Governo do Estado por meio do Projeto de Fortalecimento dos APLs, coordenado pela Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI). As propostas selecionadas foram analisadas por uma comissão constituída por oito entidades e, na tarde desta terça, deliberadas em reunião do Núcleo Estadual de Ações Transversais (Neat).

Com a decisão, passam à condição de enquadrados pelo Projeto APLs os seguintes arranjos:
• APL de Tecnologia da Informação e Comunicação da Região Central
• APL Metalmecânico da Região Central
• APL de Tecnologia da Informação da Serra Gaúcha
• APL de Agroindústria Familiar Vale do Taquari
• APL de Agroindústria Familiar Vale do Rio Pardo
• APL do Polo Naval e Offshore do Rio Grande
• APL do Complexo Industrial da Saúde da Região Sul
• APL do Polo Naval do Jacuí, na Região Centro-Sul

Os oito novos APLs poderão acessar um total de R$ 4 milhões, em quatro anos, para apoio à governança e elaboração de planos de desenvolvimento, além de um potencial de R$ 7,2 milhões ao ano com incentivo fiscal. Serão exigidas contrapartidas financeiras ou econômicas crescentes, iniciando em pelo menos 10% do valor recebido já no primeiro ano.

“Os APLs selecionados abrangem de forma ampla a matriz econômica gaúcha. Se de um lado, levarão ao enraizamento da indústria naval, de outro atenderão as necessidades de pequenos produtores. É o caso do Vale do Rio Pardo, onde 200 agroindústrias familiares, representando 600 empregos, poderão buscar alternativas à indústria do tabaco”, afirmou o secretário de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, Mauro Knijnik.

Para o presidente da AGDI, Ivan De Pellegrin, destaca-se o fato de que, das oito propostas selecionadas, três fazem parte do que a Política Industrial gaúcha considera como Nova Economia: os APLs de indústria oceânica (APL do Polo Naval e Offshore do Rio Grande e APL do Polo Naval do Jacuí) e o de saúde avançada (APL do Complexo Industrial da Saúde). “Esses são setores ainda não consolidados na economia gaúcha, mas que apresentam elevado potencial de agregação de valor”, disse De Pellegrin.

Outro aspecto de destaque é a distribuição regional dos arranjos: cinco deles estão localizados na Metade Sul, historicamente carente de desenvolvimento. “Isso atende a um dos objetivos do projeto, que é priorizar APLs como instrumento de desenvolvimento local e regional”, explicou o diretor de Produção e Inovação da AGDI, Sergio Kapron, que coordenou o trabalho da comissão de análise. O edital de seleção considerou também as prioridades de diferentes políticas públicas, como Política Industrial, da Agricultura e do Turismo e ainda o combate às desigualdades regionais.

De março a maio, foram recebidas 21 propostas, avaliadas conforme critérios técnicos. Foram consideradas a importância econômica, histórica, social e cultural da região e suas relações de sustentabilidade; a cooperação entre empresas, empreendimentos e produtores; existência e coordenação de entidades associativas e universidades; as ações inovadoras; e a transversalidade entre desenvolvimento regional e Política Industrial. Além das oito propostas selecionadas, foram definidas oito suplentes.

A partir de agora, os APLs selecionados têm de entregar a documentação especificada no edital e construir seus planos de trabalho. Para orientá-los nesse processo, está marcada para 10 de junho uma reunião da AGDI com as entidades gestoras de cada um dos oito arranjos. O encontro ocorrerá na sede do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), na Rua Uruguai, 155, em Porto Alegre. Para mais informações, os representantes das entidades gestoras dos APLs selecionados devem entrar em contato com a AGDI pelo telefone (51) 3079-7083.

O Projeto APLS – O Projeto de Fortalecimento dos Arranjos Produtivos Locais faz parte do Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais, coordenado pela AGDI. Pertence à política da Economia da Cooperação, um dos eixos estratégicos da Política Industrial implantada pelo Governo do Estado, e conta com financiamento do programa Proredes/Bird. O apoio oferecido pelo Governo do Estado visa estimular a auto-organização de empresas, trabalhadores e instituições em APLs, com governança participativa, coordenação e plano de desenvolvimento próprio.

Próximos passos:
• 3 de junho: publicação dos resultados no Diário Oficial do Estado.
• 10 de junho: reunião, em Porto Alegre, com as entidades gestoras dos APLs e os responsáveis por elaborar os planos de trabalho.
• 23 de julho: prazo final para entrega dos planos de trabalho assinados e da documentação para o convênio.
• 15 de agosto: prazo para assinatura dos convênios com as entidades gestoras dos APLs selecionados.
• 13 de setembro: se convocados os suplentes, prazo de entrega dos planos de trabalho assinados e da documentação para o convênio.
• 11 de outubro: se convocados os suplentes, assinatura dos convênios com as entidades gestoras dos APLs suplentes.

Fonte: Secretaria de Desenvolvimento e Promoção do Investimento do RS.

Obs.:  o APL do Vale do Rio Pardo tem como gestora a Afubra.

Esta entrada foi publicada em GeralInstitucional. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.